GUIA CONCURSO PRF

Aprovado no Concurso da Polícia Rodoviária Federal, completando 17 anos de Serviço Público, Professor revela como foi a sua história de Aprovações.

Aprovado no Concurso da Polícia Rodoviária Federal, completando 17 anos de Serviço Público, Professor revela como foi a sua história de Aprovações.

17/07/2018 13h25 – Atualizado em 18/07/2018 12h05

Pablo Amorim mostrou que, mesmo trabalhando o dia todo,  sendo casado e com um bebê recém-nascido, é possível ser aprovado no concurso da Polícia Rodoviária Federal, mesmo tendo somente o período da noite para estudar. Hoje ele ensina sua estratégia para pessoas que também tem sonho de ser um PRF, através do seu Livro Digital recém-publicado.

 


Tendo iniciado sua trajetória como concurseiro aos 17 anos de idade, Pablo colecionou grandes resultados e hoje se emociona ao se lembrar da sua trajetória de estudante e de todas as dificuldades que teve que superar até realizar o seu “Sonho de Criança“. Na sua história na área de concursos públicos foram 3 resultados positivos e 2 nomeações confirmadas, em órgãos de grande relevância na Nacional, como a Força Aérea Brasileira e a Polícia Rodoviária Federal.

Atualmente, já formado em TI (Analista de Sistemas), ele exerce o cargo de Policial Rodoviário Federal, no Estado do Rio de Janeiro. Agora ele se dedica apenas ao trabalho e à sua missão de vida, que é ajudar outras pessoas a serem aprovadas também.

Mas nem sempre foi assim, “No primeiro concurso que fiz, eu nem fiz a nota necessária, de 50% de acertos“, conta. Para seguir seu sonho, Pablo encontrou resistência entre os amigos. “Alguns amigos diziam que eu iria acabar ficando maluco de tanto estudar. Ouvia que eu era muito inteligente, mas que seria mais fácil conseguir um emprego na iniciativa privada, que eu iria ganhar mais. Graças a Deus eu não dei ouvidos a essas pessoas, muito pelo contrário, essa foi a melhor escolha que eu fiz, hoje eu tenho um emprego maravilhoso, com um excelente salário, e ainda posso dar conforto a minha família e me dedicar à minha missão de vida, sem me preocupar com crises ou qualquer coisa do tipo”, desabafa Pablo.

Clique na imagem para conhecer a sua técnica de estudo

(Conheça a técnica de estudo desenvolvida pelo Pablo para o Concurso da PRF)

O Pablo foi um estudante como qualquer outro, tendo sido, inclusive, reprovado no seu primeiro concurso, para a Escola de Especialistas de Aeronáutica, lá no início da sua caminhada de estudo. Mas ele não desistiu, decidiu usar essa reprovação como exemplo do que não deveria ser feito, se aprimorou, desenvolveu o seu método de estudo para concursos e partir daí trilhou sua carreira no serviço público, até a Polícia Rodoviária Federal, onde atualmente trabalha.

O que eu fiz foi, basicamente, fazer um plano de vida segui-lo até o final.”

Quando decidiu pela carreira de Policial Rodoviário Federal, ele passou a estudar de forma contínua as disciplinas comuns em diversas provas dessa área de atuação, como: português, informática, direito constitucional e direito administrativo, além de estudar os assuntos que vinham sendo cobrados nas provas anteriores.

Assim, quando o edital foi publicado, bastava revisar essas matérias e iniciar o estudo do conteúdo específico do novo edital. “Com essa estratégia, eu estudava os conteúdos com mais possibilidades de serem cobrados na prova com bastante antecedência, assim, quando o edital foi publicado, eu basicamente me dediquei a estudar somente a diferença de conteúdo, revisar o que já tinha estudado e passei a resolver simulados também”, diz.

O Guia de Estudos Para a PRF do Pablo é formado por um livro digital em PDF onde você tem acesso a essa mesma estratégia de estudos que ele utilizou, além de um capítulo todo dedicado as maiores dificuldades dos concurseiros e outro voltado a explicar tudo sobre a carreira da PRF, inclusive com os requisitos da carreira.

O Guia conta ainda com uma série de materiais complementares em PDF (Redação, Planilha de Estudos, Leitura e Interpretação de Textos) e, inclusive, um curso em vídeo sobre testes físicos. Antes do edital ser publicado, ele costumava estudar cerca de 3 horas por dia. Com a publicação do edital, a carga de estudos aumentava para 5 a 6 horas por dia. 

O importante é a pessoa descobrir qual método de estudo é melhor para ela, comigo funcionou o Roteiro de Estudo“, afirma o ex-concurseiro, com um sorriso no rosto pela sensação de dever cumprido.

 

Clique Aqui Para Conhecer o Guia de Estudos Para A PRF do Pablo Amorim.